Casa das Canoas. Oscar Niemeyer

Imagem <diariodorio.com>

Texto extraído do livro BRUAND, Yves. Arquitetura Contemporânea no Brasil. São Paulo: Perspectiva, 2003. P. 162-164

Sem dúvida alguma, a obra-prima de Niemeyer no setor da aplicação da forma livre é a casa que ele construiu para si mesmo em 1953, no bairro da Gávea, no Rio. O terreno escolhido para a residência, concebida como um oásis perdido em plena natureza tropical, estava situado num declive muito forte, perto de uma das vias de acesso à Floresta da Tijuca e às montanhas que dominam a cidade por todos os lados. Neutralização dos lados negativos do relevo e utilização de suas vantagens, manutenção máxima da admirável vista para o mar logo abaixo, respeito integral ao local foram os três princípios que orientaram a composição arquitetônica.

A ordem em geral adotada para uma casa disposta em dois níveis, foi propositalmente invertida: os quartos foram relegados ao subsolo, onde continuavam desfrutando da vista da baía, enquanto que a parte alta estava reservada aos cômodos de estar, que ficavam no mesmo nível do jardim e do terraço colocado em cima dos quartos. Essa organização levou a uma separação óptica absoluta dos dois blocos que constituem a casa; o primeiro desaparece em proveito exclusivo do segundo, contentando-se em oferecer a este um verdadeiro solo artificial; a ilusão é tão completa que, aos olhos de um observador desavisado, o edifício parece limitar-se ao que na verdade é o andar superior […]

Imagem <designcrave.frsucrave.netdna-cdn.com>

Foi essa casa que permitiu uma simbiose entre a arquitetura e a paisagem, levada a um grau raramente alcançado e, por isso, à criação de uma nova unidade profunda sob uma aparente incoerência.  A fusão exterior-interior é completa ; a transparência absoluta das paredes, em sua maioria formada por panos de vidro, a leveza dos suportes da cobertura (montantes finos de aço que substituem as colunas de cimento armado), a uniformidade do solo, cujo pavimento único se estende da área da piscina até o terraço posterior, passando através da casa propriamente dita, todos esses são fatores que reforçam essa procura de integração espacial.

O resultado alcançado pode não satisfazer a todos os gostos, mas é preciso reconhecer que ele corresponde plenamente à intenção manifestada: a coerência entre o tratamento externo e o tratamento interno foi total, pois tanto um quanto o outro tinham por objetivo identificar arquitetura e paisagem, mas sem que aquela fosse destituída de seus direitos. Assim, toda confusão foi cuidadosamente evitada. Exteriormente, o parentesco formal é levado a tal ponto, que o acordo entre uma e outra é feito sem esforço; mas uma hábil distinção foi mantida com o uso da cor: a mancha branca do edifício destaca-se do verde da vegetação, enquanto que a piscina reflete os dois indistintamente em suas águas azuis, garantindo uma transição ideal.

Imagem <farm3.static.flickr.com>

No interior, O elemento principal da decoração da sala de estar é a natureza externa (e o paradoxo é apenas aparente): a pessoa instalada nesse cômodo é mergulhada nele, quer queira, quer não, em razão da continuidade espacial criada; algumas paredes cheias colocadas com cuidado, alguns contrastes de cor de materiais escolhidos com habilidade impedem, apesar de tudo, uma dissolução pura e simples da arquitetura na paisagem e canalizam estritamente a distribuição de espaços.

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

6 respostas para Casa das Canoas. Oscar Niemeyer

  1. Pingback: Um projeto bem explicado | Coisas da Arquitetura

  2. Walter Macedo disse:

    Muito embora a semelhança seja muito grande, a foto Canoas4.jpg não é a Casa das Canoas, e sim a casa de Albert Frey um arquiteto suiço que trabalhou com Le Corbusier e posteriormente radicou-se nos Estados Unidos… essa casa está localizada em Palm Springs, na Flórida, e foi construída em 1963.

    O link

    http://www.cjbuildsllc.com/2011/11/10/american-modernism-an-uneasy-relationship/

    Mostra a mesma rocha de uma distancia um pouco maior, e fica bastante claro que não se trata da Casa das Canoas.

  3. Edilene disse:

    Isto é ser casa dos sonhos, envolve a natura e uma obra estraordinaria.

  4. Denise disse:

    Precisei crescer para entender que imagem entre matas era aquela que em infância durante um passeio me marcou para sempre.

  5. Pingback: Lighting Niemeyer | Vol 1 | spaceandlightandorder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s