Casa de Reydi em Itaipava

Residência de fim de semana do arquiteto Affonso Eduardo Reydi e carmen Portinho

Vale do Cuiabá, Itaipava, RJ, 1959

Colaboração: Carlos de Oliveira, David Astrachan (estrutura) e Julius Stern (implantação).

Do livro: “Affonso Eduardo Reidy”, editado por Nabil Bonduki. São Paulo: Instituto Lina Bo e P. M. Bardi; Lisboa: Editorial Blau, 1999.

Reidy projetou esta casa de campo para si e Carmem num terreno de grande declividade, a uma altitude de 760 metros, em uma região montanhosa do Estado do Rio de Janeiro, próxima a Petrópolis. A casa tem uma estrutura externa de concreto armado e fica elevada sobre pilotis. A cobertura é uma fina casca de concreto armado em forma de abóbada, com isolamento térmico de vermiculite e impermeabilização de emulsão asfáltica; a laje do primeiro pavimento é nervurada. Para a vedação, o arquiteto utilizou materiais em bruto, sem revestimento e explorando plasticamente suas texturas naturais. A alvenaria é de tijolo. No segundo pavimento, e de pedra rolada, no primeiro. As esquadrias das grandes aberturas envidraçadas são de madeira envernizada.

O projeto se desenvolve a partir de uma planta quadrada de 10 m x 10 m. O plano do solo, quase totalmente liberado pelos pilotis cria um amplo espaço livre coberto, que dá acesso, através de uma escada, ao pavimento superior. Neste, desenvolve-se a planta da unidade habitacional, com sala, quarto, cozinha, escritório e banheiro.

 

 

 

Anúncios
Esse post foi publicado em Escola carioca, Movimento Moderno, Rio de Janeiro. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s