Casa Souza Carvalho

Casa de campo de Lauro Souza Carvalho

Mindlin0004

Samambaia, Petrópolis. Rio de Janeiro. 1955

Arquiteto Henrique Mindlin

Publicada no Livro MINDLIN, Henrique E. Arquitetura Moderna no Brasil. Rio de Janeiro: Aeroplano/IPHAN. 2000

Continuar lendo

Publicado em Escola carioca, Movimento Moderno, Rio de Janeiro | 4 Comentários

Casa em São Paulo

CASA EM SÃO PAULO

Arquiteto Henrique Mindlin

Publicado na revista l’Architecture d’Aujourd’Hui-Bresil. 1942.

Mindlin foto b

Continuar lendo

Publicado em Arquitetura de São Paulo, Movimento Moderno | Marcado com , , | Deixe um comentário

Casa de fim-de-semana

CASA DE FIM-DE-SEMANA NA TIJUCA

Arquiteto Lygia Fernandes

Publicado na revista l’Architecture d’Aujourd’Hui-Bresil. 1942.

residencias0014

Esta casa de fim de semana, construída nas montanhas ao redor de Rio de Janeiro, foi concebida de acordo com o plano mestre dos bairros da Tijuca e da Gávea Pequena, da prefeitura do Rio de Janeiro. É composta de diferentes partes: bloco do dia, bloco da noite e serviços, claramente diferenciados. Um jardim e pátios abertos e fechados se interligam. Continuar lendo

Publicado em Escola carioca, Movimento Moderno, Rio de Janeiro | Deixe um comentário

Casa do Administrador

 

CASA DO ADMINISTRADOR

Arquiteto Sérgio Bernardes

Petrópolis, 1942.

Publicado na revista L’Architecture d’Aujourd’Hui-Bresil. SD (1942)

residencias0015 vista - Cópia

Vista obliqua. Em primeiro plano, entrada de serviço e cozinha.

Texto de apresentação do projeto

Petrópolis é uma pequena cidade localizada a 800 metros nas montanhas, a 60 quilômetros do Rio de Janeiro. Este é um lugar ideal para residências de verão. A casa que nós publicamos aqui é que do administrador de uma importante propriedade de 2 hectares, propriedade do Sr. Paulo Bittencourt. A casa principal, prevista na parte alta do terreno, ainda está em estudo (sic).
Na parte inferior da propriedade acaba de ser completada a casa do pessoal, que contém apartamentos duplex, e foi projetado em função do terreno, onde o arquiteto usou com muito discernimento o declive.

Continuar lendo

Publicado em Escola carioca, Movimento Moderno, Rio de Janeiro, Uncategorized | Deixe um comentário

Casa Kock

CASA KOCK

ou

VIVENDA ELIZABETH

Publicado na Revista Arquitetura e Urbanismo, jan/fev. 1927, p. 5 e seg.

Publico sempre neste blog alguns projetos de casas dos anos 1920 e 1930, anteriores à entronização do Movimento Moderno entre os arquitetos. Sem negar os grandes avanços, acho que muita coisa foi perdida na passagem da arquitetura prémoderna para o Momo. E penso que é sempre um bom exercício para os estudantes a análise desses projetos antigos.

Esta casa de que falamos a seguir é da lavra da Pires e Santos, um nome que me traz à memória dois grandes professores da FAU do meu tempo. Paulo Pires foi responsável pela cadeira de Pequenas Composições de Arquitetura da então Faculdade de Arquitetura da Universidade do Brasil, hoje FAU UFRJ, e foi diretor da faculdade nos anos 1960. Paulo Santos foi um dos maiores nomes da cultura arquitetônica brasileira.  Escreveu cerca de 20 livros, além de artigos especializados. Dentre os livros, destacam-se:  O barroco e o jesuítico na arquitetura do Brasil (1951), A arquitetura religiosa em Ouro Preto (1951), A Arquitetura da sociedade industrial (1960), A formação de cidades no Brasil colonial (1963) e Quatro séculos de arquitetura (1977),  este último, um marco definitivo da historiografia arquitetônica carioca. Membro efetivo do Conselho Consultivo do IPHAN, de 1955 a 1980, foi relator de 28 processos de tombamento de bens imóveis e de conjuntos arquitetônicos de cidades como Olinda (PE) e Serro (MG). Continuar lendo

Publicado em Arquitetura pré moderna, Rio de Janeiro | 2 Comentários

Casa do Arquiteto–Vital Brazil

CASA DO ARQUITETO

Arquiteto Álvaro Vital Brazil

Santa Teresa. Rio de janeiro. 1940.

Casa do Arquiteto 1

Continuar lendo

Publicado em Escola carioca, Movimento Moderno, Rio de Janeiro | Deixe um comentário

Casa do Nilo

CASA DO NILO

São Gonçalo, Rio de Janeiro

JOSE ZANINE CALDAS

José Zanine Caldas (Belmonte BA 1918 – Vitória ES 2001) foi uma figura polêmica. Sem ser formado em arquitetura, deixou uma produção de casas e pequenas construções relativamente extensa, invejável mesmo para a maioria dos arquitetos. No final dos anos 1960  até 1978, mantém o escritório no Rio de Janeiro, onde apresenta um estilo muito original misturando o desenho clássico das plantas com técnicas vernaculares de construção e a utilização de materiais de demolição, muito bem secedido ante a classe média ascendente. A falta do trato acadêmico cria muitas dificuldades de obter maiores dados. O unico livro dedicado a sua obra, de 1989,  é muito lacônico, não seguindo as normas academicas quanto a informação sobre a obra apresentada, talvez para ser coerente com o seu anti-academismo.

Esta casa, construída em pau-a-pique, resgatando rigorosamente esta técnica secular, apresenta ainda a curiosidade da planta cruciforme, uma das mais tradicionais no nosso país.

Continuar lendo

Publicado em Arquitetura Pós-Brasília, Rio de Janeiro, Uncategorized | 2 Comentários